FREI FERNANDO, VIDA , FÉ E POESIA

A vida, como dom, é uma linda poesia divina, declamemo-la ao Senhor!

Meu Diário
19/02/2015 18h49
NÃO HÁ OUTRO CAMINHO PARA A VIDA...

NÃO HÁ OUTRO CAMINHO PARA A VIDA E PARA A VERDADEIRA PAZ INTERIOR FORA DA CRUZ DO SENHOR...

Imitação de Cristo, tratado espiritual do século XV, Livraria Moraes, 1959 - Livro II, capítulo 12 (rev.)

«Se alguém quer vir após Mim, [...] tome a sua cruz, dia após dia, e siga-Me.»

A muitos parece dura esta palavra : «Renega-te a ti próprio, toma a tua cruz e segue Jesus.» […] Porque temes levar a cruz, pela qual se vai ao Reino? Na cruz está a salvação; na cruz, a vida; na cruz, a proteção dos inimigos; na cruz se derrama toda a suavidade do alto; na cruz, a força do Espírito; na cruz, a alegria da alma; na cruz, a suprema virtude; na cruz, a perfeição da santidade. Não há salvação da alma nem esperança da vida eterna senão na cruz. Pega, pois, na tua cruz e segue-O: caminharás para a vida eterna. […] Se morreres com Ele, também com Ele viverás (cf Rom 6,8). E, se fores seu companheiro no sofrimento, também o serás na glória.

Eis que tudo consiste na cruz […]; não há outro caminho para a vida e para a verdadeira paz interior. […] Anda por onde quiseres, procura o que desejares, não encontrarás mais elevado caminho no alto, nem mais seguro cá em baixo, do que o caminho da santa cruz.

Dispõe e ordena tudo segundo o que queres e vês; não encontrarás nada onde não haja que sofrer, voluntária ou necessariamente, e assim sempre encontrarás a cruz. Ou sofrerás dores no corpo, ou encontrarás tribulações na alma. Umas vezes serás abandonado por Deus, outras serás afligido pelo próximo e, pior ainda, muitas vezes pesar-te-ás a ti mesmo; e não poderás ser libertado ou aliviado com qualquer remédio ou consolação. […] Deus quer que aprendas a suportar o sofrimento sem consolações, que te submetas a Ele totalmente e te tornes mais humilde pela tribulação. […] E é necessário que tenhas paciência, se queres possuir a paz interior e merecer a coroa imortal.

Porém, fiquemos certos, não existe justo sofrimento sem justa consolação, é como escreveu São Paulo: ”Eis uma verdade absolutamente certa: Se morrermos com Cristo, com Cristo viveremos. Se soubermos perseverar, com ele reinaremos. Se, porém, o renegarmos, ele nos renegará. Se formos infiéis... ele continua fiel, e não pode desdizer-se”. “Aliás, sabemos que todas as coisas concorrem para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são os seus eleitos, segundo os seus desígnios” (2Tm 2,11-13; Rm 8,28).

Paz e Bem!


Publicado por Frei Fernando Maria em 19/02/2015 às 18h49
 
18/02/2015 08h44
PENITÊNCIA...

PENITÊNCIA, É CAMINHO DE PERFEIÇÃO...

São João Paulo II (1920-2005), Papa.

Audiência geral de 16/02/1983

«Convertei-vos a Mim com todo o vosso coração» (Jl 2,12).

Este tempo forte do ano litúrgico é assinalado pela mensagem bíblica que se pode resumir numa só palavra […]: «Convertei-vos.» […] A sugestiva cerimónia das cinzas eleva a nossa mente para a realidade eterna que nunca passa, para Deus, que é princípio e fim, alfa e ómega da nossa existência (cf. Ap 21,6). De fato, a conversão não é mais do que um regresso a Deus, avaliando as realidades terrenas à luz indefectível da sua verdade. É uma consideração que nos leva a uma consciência cada vez mais clara de que estamos de passagem no meio das fadigosas vicissitudes desta terra, e nos impele e estimula a fazer todos os esforços para que o Reino de Deus se instaure dentro de nós e a sua justiça triunfe [em nossa vida].

Sinónimo de conversão é também a palavra «penitência»: a Quaresma convida-nos a praticar o espírito de penitência, não na sua acepção negativa de tristeza e de frustração, mas na de elevação do espírito, de libertação do mal, de afastamento do pecado e de todos os condicionamentos que possam dificultar o nosso caminho para a plenitude da vida. Penitência como remédio, como reparação, como mudança de mentalidade, que predispõe para a fé e para a graça, mas que pressupõe vontade, esforço e perseverança. Penitência como expressão de empenho livre e alegre no seguimento de Cristo.

Paz e Bem!


Publicado por Frei Fernando Maria em 18/02/2015 às 08h44
 
17/02/2015 20h09
DÁ-ME ENTENDER, SENHOR...

DÁ-ME ENTENDER, SENHOR, AS TUAS SANTAS PALAVRAS COM A MESMA INTENÇÃO E PROPÓSITO COM QUE AS PRONUNCIANTES...

Santo Hilário (c. 315-367), bispo de Poitiers, doutor da Igreja - A Trindade, I, 37-38

«Ainda não compreendeis? Tendes o vosso coração endurecido?»

Deus Pai todo-poderoso é a Ti que quero consagrar a ocupação principal da minha vida. Que tudo em mim, as minhas palavras e os meus pensamentos, falem de Ti. […] Conscientes da nossa pobreza, pedimos-Te o que nos falta; utilizaremos um zelo infatigável para escrutinar as palavras dos teus profetas e dos teus apóstolos, bateremos a todas as portas que a nossa inteligência encontrar fechadas.

Mas é a Ti que cabe responder ao pedido, conceder-nos o que procuramos, abrir a porta fechada (cf. Lc 11,9). Porque vivemos numa espécie de torpor devido ao entorpecimento da nossa natureza; a fraqueza do nosso espírito impede-nos de compreender os teus mistérios devido a uma ignorância inelutável.

Felizmente, o estudo da tua doutrina reforça a nossa percepção da verdade divina, e a obediência da fé eleva-nos acima dos pensamentos dos homens comuns. Esperamos, pois, que estimules os inícios deste empreendimento difícil, que tornes firmes os progressos da nossa diligência e que nos chames a participar no Espírito que guiou os teus profetas e os teus apóstolos. Gostaríamos de compreender as suas palavras no sentido em que eles as pronunciaram, e de empregar termos exatos para transmitir fielmente tudo o que eles exprimiram. […] Concede-nos o sentido exato das palavras, a luz da inteligência, a beleza da expressão; estabelece a nossa fé na verdade. Faz-nos dizer aquilo em que acreditamos.

Paz e Bem!

PS: “Desconhecer a Escritura é desconhecer Jesus Cristo e renunciar a anuncia-lo. Se queremos ser discípulos e missionários de Jesus Cristo é indispensável o conhecimento profundo e vivencial da Palavra de Deus. É preciso fundamentar nosso compromisso missionário e toda a nossa vida cristã na rocha da Palavra de Deus” (cf. doc. cit. 247). (Documento de Aparecida).


Publicado por Frei Fernando Maria em 17/02/2015 às 20h09
 
11/02/2015 08h59
O PREÇO DO REINO DOS CÉUS (Mt 5,10-11)...

O PREÇO DO REINO DOS CÉUS (cf. Mt 5.10-11)...

Tomás de Celano (c. 1190-c. 1260), biógrafo de São Francisco e de Santa Clara

«Vita Prima» de São Francisco

«Começou a enviá-los dois a dois»

Entrou na Ordem um novo aspirante de qualidade e o seu número foi assim elevado para oito. Então o bem-aventurado Francisco reuniu-os a todos e falou-lhes longamente do Reino de Deus, do desprezo do mundo, da renúncia à vontade própria e da docilidade que tinham de exigir ao seu corpo. Depois dividiu-os em quatro grupos de dois e disse-lhes: «Ide, meus bem-amados, percorrei dois a dois as diversas regiões do mundo, anunciai a paz aos homens e pregai-lhes a penitência que obtém o perdão dos pecados.

Sede pacientes na prova, certos de que Deus cumprirá o que decidiu e manterá as suas promessas. Respondei humildemente a quem vos interrogar, abençoai os que vos perseguirem, agradecei aos que vos insultarem e vos caluniarem, pois esse é o preço do Reino dos Céus (Mt 5,10-11).»

Eles acolheram com alegria a missão que lhes confiava à santa obediência e prostraram-se aos pés de São Francisco, que abraçou cada um deles ternamente dizendo-lhes com fé: «Confiai a Deus todas as vossas preocupações, porque Ele tem cuidado de vós» (1Ped 5,7). Era a sua frase habitual quando enviava um irmão em missão.

Paz e Bem!


Publicado por Frei Fernando Maria em 11/02/2015 às 08h59
 
19/01/2015 11h10
JESUS SE UNIU À NOSSA NATUREZA PARA SANTIFICÁ-LA...

JESUS SE UNIU À NOSSA NATUREZA PARA SANTIFICÁ-LA...

Beato Jan van Ruysbroeck (1293-1381), cónego regular

Núpcias espirituais, prólogo...

«O Esposo está com eles»

«Olhai, aí vem o Esposo; saí a recebê-lo» (Mt 25,6). […] Este Esposo é Cristo, e a esposa é a natureza humana criada por Deus «à sua imagem e semelhança» (Gn 1,26). No princípio, Deus colocou-a no lugar mais digno, mais belo, mais rico e mais fértil da terra, o Paraíso. Deus apresentou-lhe todas as criaturas, que tinha decorado com graça, e deu-lhe uma ordem, de tal maneira que, observando-a, ela tivesse assegurada para sempre a união estável e fiel com o seu Esposo, livre de castigos, de sofrimentos e de privações.

Foi então que veio o maligno, o inimigo infernal, cheio de ciúmes da esposa; tomou a aparência de uma serpente astuta, enganou a mulher, e juntos enganaram o homem – e com ele toda a natureza humana. Desta forma, pelos seus maus conselhos, o inimigo fascinou a natureza humana, a esposa de Deus, que foi exilada em terra estrangeira, pobre e miserável, cativa e oprimida. […]

Mas, quando Deus viu que tinha chegado a hora e quando os sofrimentos da sua amada O encheram de pena, enviou o seu único Filho à terra […], ao seio da Virgem Maria. E assim, o Filho desposou a sua noiva, a nossa natureza, unindo-a à sua Pessoa. “Para santificá-la, purificando-a pela água do batismo com a palavra, para apresentá-la a si mesmo toda gloriosa, sem mácula, sem ruga, sem qualquer outro defeito semelhante, mas santa e irrepreensível”. (Ef 5,26-27).

Paz e Bem!

 


Publicado por Frei Fernando Maria em 19/01/2015 às 11h10



Página 11 de 184 « 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 » [«anterior] [próxima»]

Site do Escritor criado por Recanto das Letras