FREI FERNANDO, VIDA , FÉ E POESIA

A vida, como dom, é uma linda poesia divina, declamemo-la ao Senhor!

Meu Diário
30/04/2014 07h26
A CRUZ, É PARA NÓS, FONTE DA ETERNA REDENÇÃO

A CRUZ, É PARA NÓS, FONTE DA ETERNA REDENÇÃO

São João Crisóstomo (c. 345-407), presbítero de Antioquia, bispo de Constantinopla, doutor da Igreja - Homilia 1 sobre a Cruz e o Ladrão 1; PG 49, 399-401

«Assim também é necessário que o Filho do Homem seja erguido ao alto, a fim de que todo o que nele crê tenha a vida eterna»

Hoje Nosso Senhor Jesus Cristo está na cruz e nós estamos em festa, para que saibais que a cruz é uma festa e uma celebração espiritual. Antigamente a cruz designava um castigo, hoje tornou-se objeto de honra. Outrora símbolo de condenação, ei-la, hoje, princípio de salvação. Porque para nós ela é a causa de inumeráveis bens: libertou-nos do erro, iluminou-nos nas trevas e reconciliou-nos com Deus; fôramos para Ele inimigos e longínquos estrangeiros, e ela deu-nos a sua amizade e fez-nos aproximar-nos dele. A cruz é para nós a destruição da inimizade, o penhor da paz, o tesouro de mil bens.

Graças a ela, deixámos de errar pelos desertos, porque conhecemos agora o verdadeiro caminho. Não ficamos do lado de fora do palácio real, porque encontrámos a porta. Já não tememos as armas inflamadas do diabo, porque descobrimos a fonte. Graças a ela, saímos do estado de viuvez, porque reencontrámos o Esposo. Não tememos o lobo, porque temos o bom pastor. Graças à cruz, não tememos o usurpador, porque moramos ao lado do Rei.

Eis porque estamos em festa ao celebrar a memória da cruz. O próprio São Paulo nos convida à festa em honra da cruz: «Celebremos, pois, a festa, não com o fermento velho, nem com o fermento da malícia e da corrupção, mas com os ázimos da pureza e da verdade» (1Cor 5,8). E deu ainda a razão para tal honra, dizendo: «Pois Cristo, nossa Páscoa, foi imolado por nós» (v. 7).

Paz e Bem!


Publicado por Frei Fernando Maria em 30/04/2014 às 07h26
 
22/04/2014 09h48
"MULHER, POR QUE CHORAS?

“MULHER, POR QUE CHORAS?”

São Gregório Palamas (1296-1359), monge, bispo, teólogo

Homilia 20, sobre os oito evangelhos matinais segundo São João; PG 151, 265

«Vai ter com os meus irmãos»

Lá fora reinava a obscuridade, ainda não era dia, mas este sepulcro estava cheio da luz da ressurreição. Maria, pela graça de Deus, viu esta luz: o seu amor por Cristo tornou-se mais vivo e ela teve força para ver os anjos. […] Então estes disseram-lhe: «Mulher por que choras? Vês o céu neste sepulcro, ou antes, um templo celeste no lugar de um túmulo escavado para ser uma prisão. […] Por que choras?» […]

Lá fora o dia está ainda hesitante, e o Senhor não torna visível aquele brilho divino que O tornaria reconhecível mesmo no meio do sofrimento. Por isso, Maria não O reconheceu. […] Quando Ele falou e Se deu a conhecer […], mesmo aí, vendo-O vivo, ela continuou a não ter ideia da sua grandeza divina, mas dirigiu-Se-lhe como se Ele fosse um simples homem de Deus. […] No impulso do seu coração quis então lançar-Se-lhe aos joelhos e tocar-Lhe os pés. Mas Ele disse-lhe: «Não Me toques […], porque o corpo de que estou revestido é mais etéreo e mais móvel que o fogo; ele consegue subir ao céu e ir para junto de meu Pai, no mais alto dos céus. Ainda não subi para o Pai porque ainda não Me mostrei aos meus discípulos. Vai ter com eles; são meus irmãos porque somos todos filhos do mesmo Pai» (cf Gal 3,26). […]

A Igreja a que pertencemos é o símbolo deste sepulcro. Até é mais do que um símbolo: ela é, por assim dizer, outro Santo Sepulcro. Nela se encontra o local onde foi deposto o corpo do Mestre […]; aqui se encontra a mesa sagrada. Por isso aquele que correr de todo o coração para este divino túmulo, verdadeira morada de Deus […], aprenderá as palavras dos livros inspirados, que o instruirão à maneira dos anjos sobre a divindade e a humanidade do Verbo, a Palavra de Deus incarnada. E assim verá, sem erro possível, o próprio Senhor. […] Porque aquele que olha com fé para a mesa mística e para o pão da vida deposto sobre ela, vê o Verbo de Deus real que Se fez carne e que estabeleceu a sua morada entre nós (Jo 1,14). E se se mostrar digno de o receber, não apenas O verá, como participará do seu ser; recebê-lo-á em si para que Ele aí permaneça.

Paz e Bem!

 


Publicado por Frei Fernando Maria em 22/04/2014 às 09h48
 
12/04/2014 07h32
SENHOR TUA OBRA É PERFEITA, NÓS É QUE NÃO A VEMOS AINDA COMO ELA É...

SENHOR TUA OBRA É PERFEITA, NÓS É QUE NÃO A VEMOS AINDA TOTALMENTE COMO ELA É...

Juliana de Norwich (1342-depois de 1416), mística inglesa

«Revelações do Amor Divino», cap. 32

«É melhor que morra um só homem pelo povo»

O nosso bom Senhor disse-me certa vez: «Todas as coisas vão acabar em bem»; e doutra vez disse-me: «Verás que tudo acabará em bem.» Com estas palavras, a minha alma percebeu […] que Ele quer que saibamos que Ele presta atenção, não somente às coisas nobres e grandes, mas também às que são humildes, pequenas, pouco elevadas, simples. É isto que Ele quer dizer quando declara: «Tudo, seja o que for, terminará em bem.»

Ele quer fazer-nos entender que nem a menor coisa será esquecida. E quer que compreendamos que muitas ações são tão más a nossos olhos e nos causam tanta dor, que parece impossível que possam ter um fim bom; e assim, afligimo-nos e lamentamo-nos, de tal modo que deixamos de ser capazes de encontrar a paz na contemplação bem-aventurada de Deus, como devíamos. Porque aqui em baixo raciocinamos de forma tão cega, tão baixa, tão simplista, que nos é impossível conhecer a sabedoria elevada e maravilhosa, o poder e a bondade da Santíssima Trindade. […] É como se Deus dissesse: «Tende o cuidado de acreditar e confiar em Mim, e no final vereis tudo na verdade, e, portanto, na plenitude da alegria.» […]

Há uma obra que a Santíssima Trindade realizará no último dia, segundo vejo. Quando esta obra vai ser feita e como será feita, nenhuma criatura abaixo de Cristo o sabe e ninguém o saberá até ao seu cumprimento. […] Se Deus quer que saibamos que Ele fará esta obra, é para que estejamos mais à vontade, mais pacificados no amor, que deixemos de fixar o olhar nas tempestades que nos impedem de verdadeiramente nos alegrarmos nele. Esta é a grande obra ordenada por Nosso Senhor desde toda a eternidade, um tesouro profundamente escondido no seu seio bendito, e só conhecida por Ele. Por esta obra, Ele vai garantir que tudo acabe em bem, porque tal como a Santíssima Trindade criou todas as coisas do nada, assim vai tornar boas todas as coisas que o não são.

Paz e Bem!

©Evangelizo.org 2001-2014 


Publicado por Frei Fernando Maria em 12/04/2014 às 07h32
 
26/03/2014 07h43
O CUMPRIMENTO DA LEI É O AMOR...

O CUMPRIMENTO DA LEI É O AMOR...

São Cipriano (c. 200-258), bispo de Cartago e mártir

A cobiça e a inveja, 12-15; CSEL 3, 427-430

Revelar o nome de Cristo, dizer-se cristão sem seguir a via de Cristo, não será trair este nome divino e abandonar o caminho da salvação? Porque o próprio Senhor ensina e declara que quem segue os seus mandamentos entrará na vida eterna (cf. Mt 19,17), que aquele que escuta as suas palavras e as põe em prática é um sábio (cf. Mt 7,24), e que aquele que as ensina e a elas é conforme nos atos será chamado grande no Reino dos céus. Toda a pregação boa e sã, afirma Ele, só aproveita ao pregador se a palavra que lhe sair da boca depois se traduzir em atos.

Ora, haverá mandamento que o Senhor mais tenha ensinado aos seus discípulos que o de nos amarmos uns aos outros com o mesmo amor com que Ele próprio os amou? (cf. Jo 13,34; 15,12). Conseguiremos encontrar, dentre os seus conselhos conducentes à salvação e dentre os seus preceitos divinos, mandamento mais importante a ser seguido e observado? Mas como pode conservar a paz ou o amor do Senhor, aquele a quem a inveja tornou incapaz de agir como homem de paz e de coração?

Foi por esta razão que também o apóstolo Paulo proclamou os méritos da paz e da caridade, afirmando com determinação que nem a fé nem as esmolas, nem mesmo o sofrimento do confessor da fé e do mártir lhe servirão de coisa alguma, se não respeitar os laços da caridade (cg. 1Cor 13,1-3). Pois no amor se encontra a redenção, porque foi por amor que Cristo Jesus se entregou ao Pai pela nossa salvação.

Paz e Bem!


Publicado por Frei Fernando Maria em 26/03/2014 às 07h43
 
22/03/2014 07h44
"TRAZEI DEPRESSA A MELHOR TÚNICA E VESTI-LHA"

TU QUE QUERES QUE TODOS OS HOMENS SEJAM SALVOS...

São Romano, o Melodioso (?-c. 560), compositor de hinos - Hino 55

Muitos são os que pela penitência foram dignos do amor que tens pelo homem, Tu, que justificaste o publicano pelo seu lamento e a pecadora pelo seu pranto (cf. Lc 18,14; 7,50).

E, ao preveres e dares o perdão de acordo com imutáveis desígnios, Te mostras rico de todas as misericórdias (cf. Ef 2,4). Converte-me também a mim, Tu que queres que todos os homens sejam salvos! (cf. 1Tim 2,4)

A minha alma enodoou-se ao vestir a túnica dos meus erros (cf. Gn 3,21). Mas Tu me alcançarás a graça de fazer jorrar fontes dos meus olhos... A fim de que, pela contrição, seja purificada e digna das tuas núpcias (cf. Mt 22,12).

Veste-me com o manto multicolor (cf. Sl 45 [44],15)...Tu que queres que todos os homens sejam salvos! Tem compaixão de mim, Pai celeste, tal como tiveste pelo filho pródigo, porque também eu me lanço aos Teus pés e como ele, clamo: «Pai, pequei!».

E rejubilarão os anjos com a salvação dum filho indigno (cf. Lc 15,7). Não me rejeites, Deus de bondade, Tu que queres que todos os homens sejam salvos! Pois foi pela graça que fizeste de mim teu filho e teu herdeiro (cf. Rom 8,17)

E, ao ofender-Te, me vejo cativo, escravo vendido ao pecado e desditoso! Tem misericórdia da tua própria imagem (cf. Gn 1,26), Salvador meu: resgata-me deste degredo, Tu que queres que todos os homens sejam salvos!

Tendo chegado ao arrependimento, […] a palavra de Paulo encoraja-me; a não desfalecer na oração e a esperar (cf. Cl 4,2), sabendo que, se tardas, é para me dares a ganhar o salário da perseverança.

Sabedor da tua misericórdia e da tua ânsia em socorrer-me (cf. Lc 15,4), cheio de confiança Te suplico: vem em meu auxílio, Tu que queres que todos os homens sejam salvos!

Permite que leve uma vida pura, Te celebre e Te preste glória para sempre, Cristo, Todo-Poderoso, e para que depois Te cante […] um cântico puro (cf. Sl 40 [39],4), um cântico novo... Por fim, concede-me que os meus atos correspondam às minhas palavras, único Senhor, Tu que queres que todos os homens sejam salvos!

Paz e Bem!


Publicado por Frei Fernando Maria em 22/03/2014 às 07h44



Página 17 de 184 « 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 » [«anterior] [próxima»]

Site do Escritor criado por Recanto das Letras