FREI FERNANDO, VIDA , FÉ E POESIA

A vida, como dom, é uma linda poesia divina, declamemo-la ao Senhor!

Meu Diário
22/03/2014 07h44
"TRAZEI DEPRESSA A MELHOR TÚNICA E VESTI-LHA"

TU QUE QUERES QUE TODOS OS HOMENS SEJAM SALVOS...

São Romano, o Melodioso (?-c. 560), compositor de hinos - Hino 55

Muitos são os que pela penitência foram dignos do amor que tens pelo homem, Tu, que justificaste o publicano pelo seu lamento e a pecadora pelo seu pranto (cf. Lc 18,14; 7,50).

E, ao preveres e dares o perdão de acordo com imutáveis desígnios, Te mostras rico de todas as misericórdias (cf. Ef 2,4). Converte-me também a mim, Tu que queres que todos os homens sejam salvos! (cf. 1Tim 2,4)

A minha alma enodoou-se ao vestir a túnica dos meus erros (cf. Gn 3,21). Mas Tu me alcançarás a graça de fazer jorrar fontes dos meus olhos... A fim de que, pela contrição, seja purificada e digna das tuas núpcias (cf. Mt 22,12).

Veste-me com o manto multicolor (cf. Sl 45 [44],15)...Tu que queres que todos os homens sejam salvos! Tem compaixão de mim, Pai celeste, tal como tiveste pelo filho pródigo, porque também eu me lanço aos Teus pés e como ele, clamo: «Pai, pequei!».

E rejubilarão os anjos com a salvação dum filho indigno (cf. Lc 15,7). Não me rejeites, Deus de bondade, Tu que queres que todos os homens sejam salvos! Pois foi pela graça que fizeste de mim teu filho e teu herdeiro (cf. Rom 8,17)

E, ao ofender-Te, me vejo cativo, escravo vendido ao pecado e desditoso! Tem misericórdia da tua própria imagem (cf. Gn 1,26), Salvador meu: resgata-me deste degredo, Tu que queres que todos os homens sejam salvos!

Tendo chegado ao arrependimento, […] a palavra de Paulo encoraja-me; a não desfalecer na oração e a esperar (cf. Cl 4,2), sabendo que, se tardas, é para me dares a ganhar o salário da perseverança.

Sabedor da tua misericórdia e da tua ânsia em socorrer-me (cf. Lc 15,4), cheio de confiança Te suplico: vem em meu auxílio, Tu que queres que todos os homens sejam salvos!

Permite que leve uma vida pura, Te celebre e Te preste glória para sempre, Cristo, Todo-Poderoso, e para que depois Te cante […] um cântico puro (cf. Sl 40 [39],4), um cântico novo... Por fim, concede-me que os meus atos correspondam às minhas palavras, único Senhor, Tu que queres que todos os homens sejam salvos!

Paz e Bem!


Publicado por Frei Fernando Maria em 22/03/2014 às 07h44
 
20/03/2014 07h30
DEUS OLHA PARA O INTERIOR DO CADA UM DE NÓS...

«DEUS OLHA O CORAÇÃO» (1Sam 16,7).

Santo Agostinho (354-430), bispo de Hipona (Norte de África), doutor da Igreja - Discursos sobre os salmos, Sl 85; CCL 39, 1178

 

Terá o pobre sido recebido pelos anjos unicamente devido ao mérito da sua pobreza? E terá o rico sido enviado para o lugar dos tormentos apenas por culpa da sua riqueza? Não: é preciso entender que foi a humildade que foi premiada no caso do pobre e o orgulho condenado no caso do rico.

Eis a prova de que não foi a riqueza, mas o orgulho que levou a que o rico fosse castigado. O pobre foi levado para o seio de Abraão; mas as Escrituras dizem de Abraão que ele tinha muito ouro e prata e que era rico na terra (Gn 13,2). Se todos os ricos são enviados para o lugar dos tormentos, como pôde Abraão receber o pobre no seu seio? Acontece que Abraão, com toda a sua riqueza, era pobre, humilde, respeitador e obedecia a todas as ordens de Deus. Ele tinha a sua riqueza em tão pouca conta que, quando Deus lho pediu, aceitou oferecer em sacrifício o filho a quem destinava essa riqueza (Gn 22,4).

Aprendei, pois, a ser pobres e ter necessidades, quer possuais alguma coisa neste mundo quer não possuais nada. Porque encontramos mendigos cheios de orgulho e ricos que confessam os seus pecados. «Deus resiste aos orgulhosos», estejam eles cobertos de seda ou de trapos, «mas dá a sua graça aos humildes» (Tg 4,6), quer eles possuam, ou não, bens deste mundo. Deus olha para o interior; é aí que avalia, aí que examina.

Paz e Bem!


Publicado por Frei Fernando Maria em 20/03/2014 às 07h30
 
18/03/2014 09h35
TODOS DEVEMOS AGARRAR-NOS A DEUS PELA ORAÇÃO...

O MEU SEGREDO É SIMPLES: REZO...

Beata Teresa de Calcutá (1910-1997), fundadora das Irmãs Missionárias da Caridade - No Greater Love

«Quem se humilhar será exaltado»

Não creio que haja alguém que precise tanto do socorro e da graça de Deus como eu. Por vezes sinto-me muito desarmada e fraca. E acredito que é por isso que Deus Se serve de mim. Uma vez que não posso contar com as minhas próprias forças, volto-me para Ele vinte e quatro horas por dia. E se o dia tivesse mais horas precisaria também da sua graça durante essas horas. Todos devemos agarrar-nos a Deus pela oração. O meu segredo é muito simples: rezo. Pela oração, uno-me a Cristo pelo amor. Compreendi que rezar é amá-Lo. […]

As pessoas têm fome da Palavra de Deus que traz a paz, traz a união, traz a alegria. Mas não podemos dar o que não temos. É por isso que devemos aprofundar a nossa vida de oração. Sê sincero nas tuas orações. A sinceridade é a humildade e a humildade só se adquire aceitando as humilhações. Tudo o que foi dito sobre a humildade não é suficiente para te ensinar. Tudo o que leste sobre a humildade não chega para te ensinar. Só se aprende a humildade aceitando as humilhações, e encontrarás humilhações ao longo de toda a tua vida. A maior das humilhações é saber que não somos nada; eis o que aprendemos quando nos encontramos frente a Deus na oração.

Por vezes, um olhar profundo e fervoroso para Cristo constitui a melhor das orações: olho-O e Ele olha-me. Neste face a face com Deus, só sabemos que não somos nada e que não temos nada. Porque a Deus tudo pertence, até o que não imaginamos.

Paz e Bem!

©Evangelizo.org 2001-2014

 


Publicado por Frei Fernando Maria em 18/03/2014 às 09h35
 
13/03/2014 10h04
DIANTE DE VÓS, SENHOR, SE ENCONTRA A MINHA ALMA...

DIANTE VÓS, SENHOR, ESTÃO OS MEUS DESEJOS...

Santo Agostinho (354-430), bispo de Hipona (Norte de África), doutor da Igreja

Comentários sobre os Salmos: Salmo 37 (Ofício de Leitura de 6ª feira da 3ª semana do Advento)

«Pedi, e ser-vos-á dado»

Escuta o que diz [o Salmista]: «Diante de Vós, Senhor, estão os meus desejos» (Sl 37,10). Não estão diante dos homens, que não podem ver o coração, mas «diante de Vós, Senhor». […] Esteja o teu desejo sempre na sua presença; e o Pai, «que vê o [que está] oculto, há de retribuir-te» (Mt 6,4). Porque o teu desejo é a tua oração. Se o teu desejo for contínuo, contínua será também a tua oração. Não foi em vão que disse o Apóstolo: «Orai sem cessar» (1Tess 5,17). Será preciso, então, estar continuamente de joelhos, prostrados, de mãos erguidas, para obedecer a este preceito: «orai sem cessar»? Se é isso que entendemos por orar, julgo que não podemos orar sem cessar.

Existe, porém, outra oração interior e contínua, que é o desejo. Nem que estejas ocupado a fazer outra coisa, se desejas o descanso eterno em Deus, não interrompes a oração. Se não queres interromper a oração, não interrompas o desejo. Se o teu desejo é contínuo, é contínua a tua voz. Calar-te-ás se deixares de amar. Quem é que se cala? Aqueles de quem foi dito: «Pela abundância da iniquidade resfriará o amor de muitos» (Mt 24,12). A frieza do amor é a mudez do coração, mas o fervor do amor é o clamor do coração. Se o amor permanece sempre (cf 1Cor 13,8), clamas sempre; se clamas sempre, desejas sempre; se desejas, recordas-te daquele descanso.

«Diante de Vós, Senhor, estão os meus desejos […] e não Vos são ocultos os meus gemidos» (Sl 37,10). […] A verdade é que, se permanece o desejo, permanece também o gemido. Nem sempre ele chega aos ouvidos dos homens, mas nunca deixa de chegar aos ouvidos de Deus.

Paz e Bem!

©Evangelizo.org 2001-2014 


Publicado por Frei Fernando Maria em 13/03/2014 às 10h04
 
06/03/2014 07h26
A QUARESMA É CAMINHO DE CRUZ POR ONDE SE CHEGA À RESSURREIÇÃO

A QUARESMA É CAMINHO DE CRUZ POR ONDE SE CHEGA À RESSURREIÇÃO

Papa Bento XVI

Audiência geral de 17/02/2010 (trad. © copyright Libreria Editrice Vaticana)

«Se alguém quer vir após Mim»

O momento favorável e de graça da Quaresma mostra-nos o próprio significado espiritual através da antiga fórmula: «Recorda-te que és pó e ao pó tu hás de tornar», que o sacerdote pronuncia quando impõe sobre a nossa cabeça um pouco de cinza. Somos assim remetidos para o início da história humana, quando o Senhor disse a Adão, depois do pecado original: «Com o suor do teu rosto comerás o pão, enquanto não voltaras à terra, porque dela foste tirado: tu és pó e pó te hás de tornar!» (Gn 3, 19).

[…] O homem é pó e pó se há de tornar, mas é pó precioso aos olhos de Deus, porque Deus criou o homem destinando-o à imortalidade. Assim, a fórmula litúrgica «Recorda-te que és pó e ao pó te hás de tornar» encontra a plenitude do seu significado em referência ao novo Adão, Cristo. Também o Senhor Jesus quis partilhar livremente com cada homem o destino da fragilidade, sobretudo através da sua morte na cruz; mas felizmente esta morte, cheia do seu amor pelo Pai e pela humanidade, foi o caminho para a ressurreição gloriosa, através da qual Cristo Se tornou fonte de uma graça doada à quantos creem nele e são tornados partícipes da própria vida divina.

Esta vida que não terá fim já está a decorrer na fase terrena da nossa existência, mas será levada a cumprimento depois «da ressurreição da carne». O pequeno gesto da imposição das cinzas revela-nos a singular riqueza do seu significado: é um convite à percorrer o tempo quaresmal como uma imersão mais consciente e intensa no mistério pascal de Cristo, na sua morte e ressurreição, mediante a participação na Eucaristia e na vida de caridade que da Eucaristia nasce e na qual encontra o seu cumprimento. Com a imposição das cinzas renovamos o nosso compromisso de seguir Jesus, de nos deixarmos transformar pelo seu mistério pascal, para vencer o mal e praticar o bem, para fazer morrer o nosso «homem velho» ligado ao pecado e fazer nascer o «homem novo» transformado pela graça de Deus.

Paz e Bem!

©Evangelizo.org 2001-2014


Publicado por Frei Fernando Maria em 06/03/2014 às 07h26



Página 21 de 187 « 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 » [«anterior] [próxima»]

Site do Escritor criado por Recanto das Letras