FREI FERNANDO, VIDA , FÉ E POESIA

A vida, como dom, é uma linda poesia divina, declamemo-la ao Senhor!

Textos


O GRANDE MISTÉRIO DA NOSSA SALVAÇÃO...
 
Quando tratamos do que chamamos de mistério, tratamos daquilo que ainda não é conhecido por nós em sua essência, porque na verdade só Deus conhece essencialmente todas as coisas e não é conhecido por ninguém (cf. Sl 138;Jo 3,31-35;1Jo 3,19-20;1Cor 2,9-12). Estamos acostumados a lidar com o que vemos, e podemos até, de certa forma, dominar e manipular ao nosso bel prazer; mas, quando se trata dos Mistérios de Deus e de sua criação, tudo foge ao nosso controle, isto porque entramos no campo da fé, e como diz são Paulo: “Sem fé é impossível agradar a Deus, pois para se achegar a ele é necessário que se creia primeiro que ele existe e que recompensa os que o procuram”. (Hb 11,6).
 
Ora, sabemos que todos os seres vivos estão naturalmente condenados à morte, e nós, humanos, temos plena consciência desse mistério, pois o vemos acontecer na vida dos outros, e o veremos também na nossa, quando chegar o nosso dia eterno. Com efeito, além do mistério da morte, temos ciência de tantos outros, como por exemplo, o mistério do universo, do sistema solar; das leis naturais, das coisas visíveis e invisíveis; o mistério da iniquidade, ou seja, do mal, etc., são tantos que nem cabe nas nossas estatísticas. Mas um em particular chama mais à nossa atenção, é o Mistério da nossa salvação, pois, é o que mais desejamos em meio a este vale de lágrimas que habitamos. Porém, como entender este Grandíssimo Mistério?
 
De fato, só é possível pelo entendimento da fé, ou seja, pela Sabedoria divina advinda da fé, como bem nos ensinou São Paulo na Primeira Carta aos Coríntios: ”Entretanto, o que pregamos entre os perfeitos é uma sabedoria, porém não a sabedoria deste mundo nem a dos grandes deste mundo, que são, aos olhos daquela, desqualificados. Pregamos a sabedoria de Deus, misteriosa e secreta, que Deus predeterminou antes de existir o tempo, para a nossa glória. Sabedoria que nenhuma autoridade deste mundo conheceu (pois se a houvessem conhecido, não teriam crucificado o Senhor da glória). É como está escrito: Coisas que os olhos não viram, nem os ouvidos ouviram, nem o coração humano imaginou (Is 64,4), tais são os bens que Deus tem preparado para aqueles que o amam. Todavia, Deus no-las revelou pelo seu Espírito, porque o Espírito penetra tudo, mesmo as profundezas de Deus”. (1Cor 2,6-9).
 
Ou seja, o Mistério da nossa Salvação passa impreterivelmente pelo Mistério de “Cristo crucificado, escândalo para os judeus e loucura para os pagãos; mas, para os eleitos - quer judeus quer gregos -, força de Deus e sabedoria de Deus. Pois a loucura de Deus é mais sábia do que os homens, e a fraqueza de Deus é mais forte do que os homens...” (!Cor 1,23-25). “A cruz está estreitamente ligada à Paixão de Cristo e à nossa salvação. É o símbolo mais eloquente do amor de Deus por nós. A cruz venceu a morte e nos deu a vida eterna. Por esse motivo é justo que seja celebrada, exaltada e venerada por todos nós”. (http://goo.gl/twSWd2).
 
Na sua Carta aos Romanos, São Paulo, discorre sobre este Grande Mistério: “Com efeito, quando éramos ainda fracos, Cristo a seu tempo morreu pelos ímpios. Em rigor, a gente aceitaria morrer por um justo, por um homem de bem, quiçá se consentiria em morrer. Mas eis aqui uma prova brilhante de amor de Deus por nós: quando éramos ainda pecadores, Cristo morreu por nós. Portanto, muito mais agora, que estamos justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira”. (Rm 5,6-9).
 
E continua: “Ou ignorais que todos os que fomos batizados em Jesus Cristo, fomos batizados na sua morte? Fomos, pois, sepultados com ele na sua morte pelo batismo para que, como Cristo ressurgiu dos mortos pela glória do Pai, assim nós também vivamos uma vida nova. Se fomos feitos o mesmo ser com ele por uma morte semelhante à sua, sê-lo-emos igualmente por uma comum ressurreição”. (Rm 6,3-5).
 
Sabemos que o nosso velho homem foi crucificado com ele, para que seja reduzido à impotência o corpo (outrora) subjugado ao pecado, e já não sejamos escravos do pecado. (Pois quem morreu, libertado está do pecado.) Ora, se morremos com Cristo, cremos que viveremos também com ele, pois sabemos que Cristo, tendo ressurgido dos mortos, já não morre, nem a morte terá mais domínio sobre ele. Morto, ele o foi uma vez por todas pelo pecado; porém, está vivo, continua vivo para Deus! Portanto, vós também considerai-vos mortos ao pecado, porém vivos para Deus, em Cristo Jesus”. (Rm 6,6-9).
 
Deste modo, afirma São Paulo: “De agora em diante, pois, já não há nenhuma condenação para aqueles que estão em Jesus Cristo. A lei do Espírito de Vida me libertou, em Jesus Cristo, da lei do pecado e da morte”. (Rm 8,1-2). E ainda: “Justificados, pois, pela fé temos a paz com Deus, por meio de nosso Senhor Jesus Cristo. Por ele é que tivemos acesso a essa graça, na qual estamos firmes, e nos gloriamos na esperança de possuir um dia a glória de Deus. Não só isso, mas nos gloriamos até das tribulações. Pois sabemos que a tribulação produz a paciência, a paciência prova a fidelidade e a fidelidade, comprovada, produz a esperança. E a esperança não engana. Porque o amor de Deus foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado”. (Rm 5,1-5).
 
Paz e Bem!
 
Frei Fernando Maria,OFMConv.
 
Frei Fernando Maria
Enviado por Frei Fernando Maria em 02/09/2016
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Favor citar a autoria de Frei Fernando,OFMConv. e o site: www.freifernando.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras